A Informática como Ferramenta Motivadora no Ensino de Matemática

O projeto de extensão intitulado A Informática como Ferramenta Motivadora no Ensino de Matemática está sendo proposto pelo Departamento de Matemática (DM) do Campus Catalão (CAC) da Universidade Federal de Goiás (UFG), e será executado a partir do segundo semestre do ano de 2012. O principal objetivo é promover a inclusão digital de crianças carentes, por meio do incentivo ao uso de tecnologias de informação e comunicação (TIC) na prática docente. 

No projeto serão ofertados, no Laboratório de Simulação Matemática do CAC, ciclos de oficinas a alunos carentes da educação básica. Nessas oficinas, por meio da proposição de problemas matemáticos, pretende-se propiciar a aquisição de conhecimentos de informática básica através do uso de editores de texto, de planilhas eletrônicas e de recursos para pesquisa na internet. 

Segundo o Mapa de Exclusão Digital1, documento publicado em 2003 pela Fundação Getúlio Vargas, "(...) a escolaridade média dos incluídos digitais era de 8,72 anos completos de estudo, praticamente o dobro daquela observada entre os excluídos digitais (...)". Ainda conforme esse documento, apenas "(...)12,46% da população brasileira dispunha de acesso em seus lares a computador e 8,31% à Internet (...)".

exclusao_digital
Mapa da Exclusão Digital

Faz-se pertinente mencionar ainda um estudo realizado pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) que versa sobre a relação entre os sistemas de ensino e a tecnologia. De acordo com este, pessoas com conhecimento de informática têm 25% a mais de chance de conquistar um emprego. Esses resultados retratam um quadro que demanda preocupação, pois demonstram que a falta de domínio sobre recursos tecnológicos causa impacto direto na empregabilidade do indivíduo. 

Ademais, quando considerada a não democratização do acesso a ferramentas digitais, os dados nos mostram que, enquanto na camada mais rica da sociedade, 86% dos estudantes têm acesso ao computador e à internet, entre os jovens com menos recursos apenas 15% acessam esta ferramenta. 

A inclusão digital deve fazer parte do processo de ensino, propiciando ao indivíduo a oportunidade de produzir informação e gerar conhecimento. E é nessa perspectiva que o projeto em questão foi elaborado, para funcionar como um mecanismo paliativo na promoção da inclusão digital de indivíduos que não têm computador e linha telefônica em casa, contribuindo para a construção da cidadania de todos os envolvidos.