Projeto de Xadrez no CAC/UFG

O jogo além de ser um objeto sócio-cultural em que a matemática está presente, é uma atividade natural no desenvolvimento dos processos psicológicos básicos. Por meio dos jogos, os alunos vivenciam situações repetitivas, lidam com símbolo, pensam por analogia, produzem linguagem, capacitam-se para submeterem-se a regras, dão explicações, desenvolvem estratégias, estimulam seu raciocínio lógico e criam seu próprio conhecimento. 

O projeto de Xadrez no CAC/UFG é desenvolvido em parceria pelos Departamentos de Matemática e Engenharia de Minas do Campus Catalão (CAC) da Universidade Federal de Goiás (UFG). A primeira edição foi proposta em 2011 com o objetivo de contribuir para a melhoria da qualidade do Ensino de Matemática da Educação Básica através da disseminação da cultura do xadrez como jogo lúdico formador de caráter. 

O projeto é constituído essencialmente de três etapas, a saber: Aulas expositivas sobre xadrez, ciclo de jogos e torneio de encerramento. Nas aulas expositivas de iniciação ao xadrez são abordados os seguintes tópicos: História do Xadrez; O Jogo; As Peças do Xadrez e seus respectivos valores; Movimentos Especiais - roque, Captura en passant; Fim do Jogo - xeque-mate, empate, afogamento; Anotações dos Lances; Aberturas - a posição perfeita, abertura Ruy Lopez e a defesa siciliana. Nas oficinas de aprofundamento são abordados tópicos diversos conforme proposta dos ministrantes. Os ciclos de jogos têm como objetivo propiciar a familiarização dos participantes com o xadrez e o aperfeiçoamento dos novos enxadristas. São realizadas partidas simultâneas (onde uma pessoa de reconhecido conhecimento joga contra todos os alunos ao mesmo tempo), partidas comentadas, bem como partidas didáticas. Para os torneios abertos de xadrez do CAC toda a comunidade de Catalão e região é convidada a participar, promovendo a integração de enxadristas de diversos níveis, propiciando a convivência de pessoas de diferenciadas experiências de vida, transformando a ação em uma forma de inclusão social. 

O ensino de Matemática deve desenvolver no aluno o raciocínio lógico, a criatividade, a capacidade de resolver problemas em diferentes contextos e a habilidade de pensar de maneira independente. Se no processo de ensino-aprendizagem da Matemática forem priorizadas a construção de estratégias, a iniciativa e a criatividade, então o cidadão formado será mais versátil. Nesse sentido a inserção de jogos em sala é uma ferramenta eficaz. E, dentre as diversas possibilidades de jogos, podemos destacar o xadrez, que é um jogo de regras legitimado como de grande importância para a evolução do indivíduo. 

O xadrez é considerado como esporte e exige um bom condicionamento físico. Demanda uma grande eficiência cardiovascular em virtude da necessidade de oxigenação do cérebro. Um cérebro mais oxigenado implica em maior eficiência, maior lucidez e, principalmente, maior velocidade de pensamento, de interpretação e de reação aos movimentos complexos presentes no xadrez. Ademais, o xadrez também é considerado ciência. Existem diversas obras publicadas sobre o xadrez. Estas obras abordam desde os princípios teóricos do jogo até análises de grandes partidas visando o aprimoramento dos enxadristas. 

A prática do xadrez propicia diversos benefícios. Os praticantes demonstram um amadurecimento pessoal e um maior desenvolvimento da capacidade de concentração. O raciocínio lógico desenvolvido por essa prática estimula o aprendizado dos alunos em várias disciplinas. A busca pelo melhor lance no xadrez se assemelha à resolução de um exercício de Matemática. O cérebro tem que funcionar com precisão, ainda que pressionado pelo tempo. Nessa perspectiva, pretendemos que o projeto se consolide e seja desenvolvido anualmente, proporcionando benefícios a uma maior parcela da sociedade.